Segunda Feira, 12 de Novembro de 2018
Sétima Arte: Bohemian Rhapsody


09/11/2018

Bohemian Rhapsody chegou aos cinemas na semana passada e está reproduzindo na tela grande o sucesso que já havia alcançado com a música de mesmo título ao redor do mundo no anos 1980. Muito mais do que um filme sobre o Queen, a obra busca ser uma cinebiografia de um dos mais talentosos e polêmicos artistas do final do século passado. Sobre Bohemian Rhapsody a Coluna Sétima Arte deixa você muito bem informado.

Há uma semana em cartaz, o filme se tornou rapidamente um dos campeões de bilheteria no Brasil, além disso, alcançou a façanha de arrecadar somente em seu fim de semana de estreia praticamente a mesma quantia gasta em sua produção, algo em torno de 52 milhões de dólares. Um desempenho que já era esperado, já que a banda Queen tem uma multidão enorme de fãs ao redor do mundo.

Outro aspecto que não surpreende são as polêmicas que vem gerando. Tão recorrentes a Freddie Mercury em sua vida, as polêmicas agora estão presentes também nas reações à sua cinebiografia, inclusive no Brasil. Isso porque, após a onda conservadora que assolou o país durante as eleições, muitas dessas pessoas mantiveram o seu caráter reacionário e, provavelmente desavisadas sobre a vida do artista, vaiaram e ofenderam não apenas a obra em si, mas todos os envolvidos nela por meio das redes sociais. O fato se deu porque as cenas que representavam a homossexualidade de Mercury aparentemente ofenderam a moralidade desse grupo.

Deixando as polêmicas de lado, o que se apresenta é um filme ímpar. O roteiro escrito por Anthony McCarten não traz apenas a formação do grupo a partir da união de seus quatro membros, mas constrói uma linha temporal extensa, apresentando os avanços da banda, as intrigas e principalmente a forma como foram criados seus grandes sucessos musicais. A sensação é a de que você está junto com o Queen em seus momentos fora dos palcos, fazendo a história da música mundial.

Já a direção, que é atribuída a Bryan Singer, passou por alguns problemas ao longo do caminho e deixou muito fã preocupado, pois Singer foi demitido e substituído por Dexter Fletcher ainda durante a produção do filme, mas o resultado final felizmente não foi prejudicado e Bohemian Rhapsody é realmente uma obra digna da grandiosidade da banda Queen.

O elenco surpreende positivamente, principalmente por causa de Rami Malek. O versátil ator da premiada série Mr. Robot encarna com perfeição os trejeitos e as características físicas de Feddie Mercury. Outro destaque positivo é a atriz Lucy Boynton, que interpreta Mary, uma personagem que tem uma longa relação com o protagonista da história.

Outros aspectos relevantes são a fotografia e o figurino. Tudo está em sintonia com as décadas de 1970 e 1980, além de ser muito bonito de ver, é de encher os olhos dos mais saudosistas. A trilha sonora, como era de se esperar, é um espetáculo a parte. Impossível estar no cinema e não cantarolar baixinho um trechinho de alguns dos sucessos do Queen.

Vamos à trama! Freddie Mercury e seus companheiros Brian May, Roger Taylor e John Deacon mudam o mundo da música para sempre ao formar a banda Queen, durante a década de 1970. Porém, quando o estilo de vida extravagante de Mercury começa a sair do controle, a banda tem que enfrentar o desafio de conciliar a fama e o sucesso com suas vidas pessoais cada vez mais complicadas.

Por que ver esse filme? Porque é um filme divertido e um entretenimento de ótima qualidade. Ao representar a história de uma banda que quebrou paradigmas e se opôs ao sistema, o filme deixa um pouco a desejar, pois é certinho demais e priva o público de situações complicadas, mas que fazem parte da essência de Mercury. Por outro lado, ele revisita os bons tempos da música mundial, quando o talento precedia a fama. Se você é fã do “rock and pop” dos anos 1980, vai se deliciar com o filme. Boa sessão!

Fonte: Odailson Volpe de Abreu


 
Veja Mais:

  • 09/11/2018 - Sétima Arte: Bohemian Rhapsody
  • 26/10/2018 - Sétima Arte: Halloween
  • 19/10/2018 - Sétima Arte: O Primeiro Homem
  • 11/10/2018 - Sétima Arte: Nasce Uma Estrela
  • 05/10/2018 - Sétima Arte: Venom
  • 28/09/2018 - Sétima Arte
  • 21/09/2018 - Sétima Arte: O Mistério do Relógio na Parede
  • 21/09/2018 - Brincadeiras, truques de mágica e muita palhaçada alegraram os alunos do “Comecinho de Vida”
  • 14/09/2018 - Sétima Arte - A Freira
  • 06/09/2018 - Associação Divina Providência realiza 1ª Noite Cultural
  • 31/08/2018 - Sétima Arte
  • 24/08/2018 - Sétima Arte - Slender Man – Pesadelo sem Rosto
  • 17/08/2018 - Sétima Arte - Christopher Robin – Um Reencontro Inesquecível
  • 10/08/2018 - Sétima Arte
  • 08/08/2018 - Museu Rural conta a história da colonização
  • 02/08/2018 - Coach Jaiva Suelen ministra palestra sobre como aplicar conceitos e ferramentas capazes eliminar a z...
  • 16/07/2018 - Coral Municipal: marco da nossa cultura
  • 06/07/2018 - Sétima Arte: Homem-Formiga e a Vespa
  • 29/06/2018 - Sétima Arte: Hereditário e Os Incríveis 2
  • 22/06/2018 - Sétima Arte: Jurassic World: Reino Ameaçado
  • 22/06/2018 - Nova Esperança abrirá votação popular para escolha de um prato típico
  • 15/06/2018 - Sétima Arte: Oito Mulheres e Um Segredo
  • 12/06/2018 - Sétima Arte: Eu Só Posso Imaginar
  • 25/05/2018 - Sétima Arte: Han Solo - Uma História Star Wars
  • 18/05/2018 - Nova Esperança fazendo bonito na Expoingá 2018
  • 18/05/2018 - Sétima Arte - Deadpool 2
  • 11/05/2018 - Sétima Arte - A Noite do Jogo
  • 04/05/2018 - Sétima Arte - Paulo, Apóstolo de Cristo e Verdade ou Desafio
  • 30/04/2018 - Lenir Azevedo é coautora do livro “Equilíbrio: Corpo, Mente e Espírito”
  • 28/04/2018 - Sétima Arte: Vingadores: Guerra Infinita
  •  
    © Jornal Noroeste - Escrevendo a história de Nova Esperança e região desde 1985
    Rua Governador Bento Munhoz da Rocha Neto, 354 - Sala 101 - Nova Esperança, PR - CEP 87600-000 - Fone 044 3252 3908
    Desenvolvido por Hnet Websites