Segunda Feira, 12 de Novembro de 2018
::: Feriado Municipal: Nova Esperança completa 61 anos neste sábado


13/12/2013
A instalação oficial do município aconteceu no dia 14 de dezembro de 1952, com a posse do primeiro prefeito eleito, Dr. José Teixeira da Silveira. Neste sábado de feriado, diversas atividades estão programadas. Passeio Ciclístico, Festa das Nações, Torneio de Futsal, Shows, apresentações culturais dentre outras.

O município de Nova Esperança comemora amanhã, sábado, 14 de dezembro, 61 anos de sua Emancipação Política. A Administração municipal decretou feriado municipal, diferentemente de anos anteriores quando a data era remanejada para o inicio de janeiro do próximo ano. Para celebrar esta data, diversas atividades culturais estão programadas. Passeio Ciclístico, Festa das Nações, Torneio de Futsal, Shows, apresentações culturais dentre outras.
História
Antes da povoação, a região era visitada por tropeiros e viajantes que vinham de São Paulo e Mato Grosso do Sul, com destino aos campos de Guarapuava e de Palmas. Estes viajantes penetravam o sertão entre um caminho aberto a partir de 1926, por uma empresa de levantamento topográfico, que abria picadas que levavam aos Campos de Guarapuava. De uma hora para outra a empresa paralisou seus trabalhos se retirando da região. Provavelmente em face às concessões do governo paranaense de terras feitas à Companhia Melhoramentos.
Alguns funcionários daquela companhia topográfica construíram uma capelinha às margens do Rio Biguá, o local ficou conhecido por Capelinha.
Em 1946, a Companhia Melhoramentos chegou a Capelinha, iniciando a mediação e a demarcação de uma futura cidade.Em outubro do mesmo ano, o Sr. José Xavier de Barros e sua esposa D. Benedita aqui chegaram, ocupando uma casa abandonada e transformando-a em uma hospedaria, que no ano seguinte se tornaria um hotel para atender a tropeiros e boiadeiros que por aqui passaram.
Daí em diante o número de pessoas que aqui chegavam e se estabeleciam era cada vez maior, tanto na zona urbana quanto na zona rural.
No ano de 1948 começou a abertura e colonização da cidade, para onde vieram correntes migratórias de todas as regiões brasileiras e, no ano de 1951, a povoação já possuía 6 serrarias, 06 máquinas de beneficiar arroz, 02 debulhadeiras de milho, 02 fábricas de móveis, 01 máquina de café, 05 postos de gasolina, 02 serrarias, 05 oficinas mecânicas, 03 sorveterias, 28 casas de secos e molhados, 16 casas de tecidos, 22 bares, 04 barbearias, 02 tinturarias, 04 alfaiatarias, 01 fábrica de calçados, 01 funilaria, 03 restaurantes, 01 relojoaria, 02 casas especializadas em ferragens, 12 carros de aluguel, 42 caminhões de aluguel, 03 carros particular, 05 depósitos de tijolos e telhas, 01 fábrica de tubos, 06 compradores de cereais, 01 correio particular, 02 escritórios comerciais, 04 médicos, 02 dentistas e 01 engenheiro agrônomo (isto abrangendo todo o território de Capelinha que era muito grande na época).
Com um processo de ocupação tão rápido, devido à necessidade, pleiteou-se a criação de um distrito administrativo, porém sem ter que passar pelo estágio de distrito, Capelinha foi elevada à categoria de município, com a denominação de Nova Esperança, através da Lei Estadual nº 790, de 14 de março de 1951, criada pelo deputado Francisco Silveira Rocha e sancionada pelo governador Bento Munhoz da Rocha Neto.
A denominação foi sugerida pelo deputado Francisco Silveira da Rocha, para a criação do município de Capelinha, o que não ocorreu por haver município homônimo no Estado da Bahia. O nome Nova Esperança sugere dias melhores ou esperança no futuro.
INSTALAÇÃO OFICIAL
A instalação oficial ocorreu no dia 14 de dezembro de 1952, com a posse do primeiro prefeito eleito, o médico José Teixeira da Silveira, falecido recentemente, e dos primeiros vereadores, dr. Kepler Gonçalves Palhano, José Felipe Elias, Hélio de Moraes Barbosa, Adelício Fagundes Dias, João Vieira, Afonso Sgssard, Alídio Roboledo, Daniel Lopes Marques e Eduardo Sequi.
A instalação da Comarca de Nova Esperança ocorreu dois anos depois da data de fundação da cidade, em 11 de março de 1954. A Comarca de Nova Esperança pertencia anteriormente à Comarca de Mandaguari. Sua instalação coincidiu com a posse do primeiro Juiz de Direito, Dr. Carlos Bezerra Valente. Bezerra foi empossado pelo desembargador José Munhoz de Mello, então presidente do Tribunal de Justiça do Paraná. O primeiro promotor de Justiça da Comarca foi Amauri Fiorillo, o primeiro Oficial de Justiça foi Irineu Maciel e o primeiro Cartorário, Pedro Arthur Sampaio, que posteriormente seria também prefeito de Nova Esperança. Pertencem a Comarca de Nova Esperança os municípios de Atalaia, Uniflor, Presidente Castelo Branco, Floraí , além da cidade sede.
ETNIAS
A grande variedade de etnias como italianos, japoneses, alemães entre outros migrantes de estados vizinhos ou longínquos do Brasil foi construindo a história de desenvolvimento do município.
A cultura cafeeira, cujo produto (café) era popularmente denominado “ouro verde”, devido ao alto valor de mercado na época e o clima e solos propícios ao seu plantio foi talvez a grande responsável pelo acelerado desenvolvimento da economia local, contribuindo sobremaneira para a instalação do Município de Nova Esperança em 14 de dezembro de 1952.
A influência do café foi tamanha que o ponto mais central da cidade leva o nome de Praça Mello Palheta, devido ser este homem, Francisco de Mello Palheta, o responsável por trazer mudas de café da Guiana Francesa para o Brasil, no ano de 1727.
Recursos Hídricos
Os recursos hídricos de Nova Esperança são bem distribuídos, sendo que a quase totalidade dos lotes está situada às margens de córregos ou ribeirões.
Os principais ribeirões são: Ribeirão do Diabo, Ribeirão Piúna, Ribeirão Esperança, Ribeirão Paracatu, Ribeirão Caxangá, Ribeirão Fundo e Ribeirão Anhumaí.


CULTURAS
O tempo foi passando e a cultura cafeeira foi aos poucos sendo substituída por outras, num processo mais amplo onde a diversificação da atividade agrícola agregou num primeiro momento a sericicultura como a mais promissora substituta do café, mas que já na década posterior ao seu plantio cedeu espaço a culturas como a laranja, uva, mandioca dentre outras. Mas até hoje Nova Esperança é conhecida como a “Capital Nacional da Seda”.
As características do solo e a temperatura anual em média em torno dos 25º c, fazem da economia essencialmente agrícola, mas na composição da economia destacam-se a agricultura e a pecuária, além de atividades industriais.
POPULAÇÃO
A população estimada no último senso realizado é de 26.613 habitantes. A maior parte desta população descende de europeus e asiáticos (japoneses), com componentes menores de indígenas e afros-descendentes.
Um povo acontece quando as pessoas se unem em torno de um mesmo sonho. A capacidade de sonhar é algo que o povo de Nova Esperança, desde os antepassados nunca perdeu.
Muitos dos que aqui fixaram residências no início da colonização vieram do “velho mundo”, imigrantes em busca de sucesso nas promissoras terras do Paraná. Estas pessoas, pioneiros, muitos destes já falecidos, são verdadeiros baluartes da história de Nova Esperança devido ao idêntico ideal e pré-determinismo, tornando esta cidade um lugar onde a esperança renova-se a cada dia, onde a esperança graças a Deus se renova a cada manhã.
A perseverança dos nossos pioneiros conseguindo significativas vitórias e os eventuais fracassos, precedidos por naturais recuos, ensinaram a esta geração presente que o futuro se faz com vontade de trabalhar, e a dedicação e fé compõe a mola mestra na consecução dos objetivos propostos.
É pela participação ativa da sociedade que se efetiva a soberania popular e se constrói o poder social que, direta ou indiretamente, limita, controla e orienta o poder público constituído, que deve responder aos anseios e necessidades de seu povo.
Neste momento de resgate da história do povo novaesperancense, parabenizamos a população que ajuda a construir este próspero município, e juntos vamos literalmente escrever os anos vindouros.


Governaram Nova Esperança:
José Teixeira da Silveira............................ 1952 a 1954
Kepler Gonçalves Palhano........................ 1954 a 1956
Pedro Zanusso................................................1956 a 1960
Armando de Lima Uchôa................................ 1960 a 1964
Pedro Arthur Sampaio...............................1964 a 1969
Armando de Lima Uchôa.................................1969 a 1973
José Ercílio Kreling........................................1973 a 1977
Severino Ramos Bezerra...........................1977 a 1983
João Urbano...............................................1983 a 1988
José Ercílio Kreling...........................................1989 a 1992
Silvio Chaves..........................1993 a 1996
José Gerônimo Benatti......................................1997 a 2000
Gerson Zanusso................................................2001 a 2004
Maria Ângela Silveira Benatti.................... 2005 a 2008 e 2009 a 2012
Gerson Zanusso – Atual prefeito

Atualmente, Nova Esperança possui dois Distritos Administrativos. O distrito de Barão de Lucena, criado pela Lei n. 62, de 29/05/54 e, antes de sua criação chamou-se povoado Esperança, criado pela Lei n. 790, de 14/11/51, possuindo hoje 1.500 habitantes.
O segundo distrito é o de Ivaitinga, criado pela Lei n. 266, de 10/06/60, hoje com 2.500 habitantes.
Nova Esperança está a 600m de altitude em relação ao nível do mar. Situa-se entre as coordenadas geográficas de 23º12’00” de latitude sul e 52º12’00” de longitude oeste. Possui uma área de 403,13km2.

Fonte: Alex Fernandes França

 
Veja Mais:

  • 09/11/2018 - Sétima Arte: Bohemian Rhapsody
  • 26/10/2018 - Sétima Arte: Halloween
  • 19/10/2018 - Sétima Arte: O Primeiro Homem
  • 11/10/2018 - Sétima Arte: Nasce Uma Estrela
  • 05/10/2018 - Sétima Arte: Venom
  • 28/09/2018 - Sétima Arte
  • 21/09/2018 - Sétima Arte: O Mistério do Relógio na Parede
  • 21/09/2018 - Brincadeiras, truques de mágica e muita palhaçada alegraram os alunos do “Comecinho de Vida”
  • 14/09/2018 - Sétima Arte - A Freira
  • 06/09/2018 - Associação Divina Providência realiza 1ª Noite Cultural
  • 31/08/2018 - Sétima Arte
  • 24/08/2018 - Sétima Arte - Slender Man – Pesadelo sem Rosto
  • 17/08/2018 - Sétima Arte - Christopher Robin – Um Reencontro Inesquecível
  • 10/08/2018 - Sétima Arte
  • 08/08/2018 - Museu Rural conta a história da colonização
  • 02/08/2018 - Coach Jaiva Suelen ministra palestra sobre como aplicar conceitos e ferramentas capazes eliminar a z...
  • 16/07/2018 - Coral Municipal: marco da nossa cultura
  • 06/07/2018 - Sétima Arte: Homem-Formiga e a Vespa
  • 29/06/2018 - Sétima Arte: Hereditário e Os Incríveis 2
  • 22/06/2018 - Sétima Arte: Jurassic World: Reino Ameaçado
  • 22/06/2018 - Nova Esperança abrirá votação popular para escolha de um prato típico
  • 15/06/2018 - Sétima Arte: Oito Mulheres e Um Segredo
  • 12/06/2018 - Sétima Arte: Eu Só Posso Imaginar
  • 25/05/2018 - Sétima Arte: Han Solo - Uma História Star Wars
  • 18/05/2018 - Nova Esperança fazendo bonito na Expoingá 2018
  • 18/05/2018 - Sétima Arte - Deadpool 2
  • 11/05/2018 - Sétima Arte - A Noite do Jogo
  • 04/05/2018 - Sétima Arte - Paulo, Apóstolo de Cristo e Verdade ou Desafio
  • 30/04/2018 - Lenir Azevedo é coautora do livro “Equilíbrio: Corpo, Mente e Espírito”
  • 28/04/2018 - Sétima Arte: Vingadores: Guerra Infinita
  •  
    © Jornal Noroeste - Escrevendo a história de Nova Esperança e região desde 1985
    Rua Governador Bento Munhoz da Rocha Neto, 354 - Sala 101 - Nova Esperança, PR - CEP 87600-000 - Fone 044 3252 3908
    Desenvolvido por Hnet Websites