Segunda Feira, 12 de Novembro de 2018
A verdadeira face deste governo


23/01/2015

Esta semana fomos surpreendidos com uma série de anúncios feitos pelo Ministro da Fazenda Joaquim Levy. Serão aumentados Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) sobre os combustíveis e o retorno da Contribuição para Intervenção no Domínio Econômico (Cide)  que sem dúvidas terão forte impacto nas Despesas da Conta do Desenvolvimento Energético (CDE), aumentando em cerca de R$0,15 o litro do preço do diesel usado das termoelétricas.

As ações e medidas implementadas pelo Partido dos Trabalhadores não correspondem à nomenclatura que a sigla carrega, pois o que está havendo é um arrocho em torno dos reais trabalhadores deste país.

Os noticiários estão sempre trazendo à lúmen da população os desmandos e série de eventos de corrupção nas estatais, com destaque mais recente para a Petrobrás.  A falta de investimentos no setor energético, que deveriam ser estes compatíveis às necessidades e à demanda, não se deu porque os recursos públicos que deveriam destinar-se a fins coletivos, beneficiando o povo, foram parar nas mãos deste bando de ladrões que prostituem não só a política, como a nação brasileira como um todo.

A História do Brasil tenta esconder e sempre é contada com ares de poesia, mas é voz corrente entre muitos historiadores (autônomos e independentes), de que os piores elementos de Portugal (país que nos colonizou a partir de 1500) foram os que vieram para cá, trazendo a sórdida cultura de levar vantagem em tudo e sobre todos. A perpetuação do modo de pensar infelizmente ocorrera em muitos e o meio político talvez seja a seara ideal para que os desejos e ideias de corrupção sejam postas em prática.

Em trecho, a  matéria publicada na Agencia Brasil, que veicula as notícias do Governo diz assim “A CDE é um dos componentes dos reajustes de luz. A conta é custeada pelos consumidores atendidos pelo Sistema Interligado Nacional. Os recursos são usados para promover fontes alternativas, como eólicas, pequenas centrais hidrelétricas, biomassa e carvão mineral nacional, além da universalização da energia elétrica no país. Desde 2012, a CDE também é usada para compensar a redução das tarifas de energia promovida pelo governo federal”.

O consumidor para a conta da má gestão dos recursos públicos. Vemos países crescendo economicamente e nós brasileiros, estagnados. A China, por exemplo, cresceu 7% em sua economia em 2014 e o Brasil, muito pouco e há membros do governo já comemorando o fato de não haver recuo. Pode uma coisa dessas.

É este o atual governo do país. Que espreme o empresariado e a classe que produz para a nação para “investir” em quem pouco ou nada faz em prol do Brasil.

A “Presidenta” Dilma Rousseff vêm à público, com discursos ufanistas dizendo que o país está no caminho certo. Esta semana conversei com um amigo que trabalha para uma empresa prestadora de serviço para a Petrobrás. Ele foi enfático ao afirmar que se tornou inviável a retirada de petróleo em águas profundas, na região do pré-sal e que o preço comercializado não cobre os gastos. O cerne da questão é que a corrupção está sucateando a maior empresa brasileira e quando o dinheiro é desviado, tirar petróleo, mesmo que na flor da terra deixa de ser lucrativo. O inesgotável poço da corrupção detona com qualquer modelo econômico já que em vez de estancar o problema, fica mais “cômodo” taxar o povo, tributando mais e mais e aumentando os preços dos produtos e serviços.

É este governo que segurou a “bomba” para ganhar as eleições e ficar mais 04 anos no poder que agora está usando um discurso totalmente inverso ao que disse no período eleitoral.  O país é a nossa casa e todos têm que cooperar. De nada adianta o sul, sudeste e centro-oeste produzirem se o resto consumir tudo, via as tetas dos programas assistencialistas e eleitoreiros e da corrupção que nos assola!

Essa perpetuação no poder é um projeto de partido, de poder pelo poder. Não se trata de um plano para o país, pois o que se vê é o sucateamento das instituições, falindo por conta de ingerência e corrupção. Lobos cuidando de ovelhas. Ou matamos o lobo, ou o rebanho todo morrerá!

Fonte: Alex Fernandes França


 
Veja Mais:

  • 03/08/2018 - O homem cordial, a política e a Lei de Gérson!
  • 04/06/2018 - Mundo em colapso
  • 12/01/2018 - O ano que queremos...
  • 24/11/2017 - Marcas no corpo e na alma
  • 25/08/2017 - "Nem com uma flor..."
  • 28/07/2017 - Ódio ideológico
  • 22/06/2017 - Investir em Esportes faz bem
  • 09/06/2017 - Escolas do Crime
  • 02/06/2017 - Há esperança para o Antonio Esperança?
  • 26/05/2017 - Reciclando ações
  • 19/05/2017 - A amplitude da informação aliada à Educação
  • 15/05/2017 - Até onde vai a credibilidade das redes sociais?
  • 02/05/2017 - Viagens extraordinárias
  • 17/04/2017 - Cidadania e justiça
  • 31/03/2017 - O progresso pede passagem
  • 27/03/2017 - A carne é fraca?
  • 17/03/2017 - Respeito é bom...
  • 03/03/2017 - O menor de idade e a falência do sistema carcerário
  • 24/02/2017 - Refis: justo ou injusto?
  • 17/02/2017 - Chega de violência
  • 10/02/2017 - Que comecem os trabalhos...
  • 27/01/2017 - Fato ou boato: até onde vai a credibilidade das redes sociais?
  • 20/01/2017 - Vilas Rurais: desvio de finalidade?
  • 06/01/2017 - Gestão Pública eficiente: anseio coletivo
  • 23/12/2016 - Real motivo de celebração
  • 17/12/2016 - Responsabilidade Humana
  • 25/11/2016 - Patrimônio inestimável
  • 11/11/2016 - Ultranacionalista no poder
  • 28/10/2016 - Finados: dia de celebrar a vida
  • 21/10/2016 - Bye bye clientes
  •  
    © Jornal Noroeste - Escrevendo a história de Nova Esperança e região desde 1985
    Rua Governador Bento Munhoz da Rocha Neto, 354 - Sala 101 - Nova Esperança, PR - CEP 87600-000 - Fone 044 3252 3908
    Desenvolvido por Hnet Websites