Terça Feira, 21 de Agosto de 2018
Dignamente , estrada “de Barão’


08/04/2016
Nos últimos dias os novaesperancenses, principalmente os que precisam se deslocar rotineiramente até os distritos de Barão de Lucena, Ivaitinga, bairros e propriedades adjacentes tem um grande motivo para comemorar: a restauração da PR 555, tão cobrada pelas autoridades e imprensa, da qual este jornal sempre exerceu tal função, cujas obras estão em ritmo bastante acelerado. A empresa contratada pelo DER vem prestando um trabalho de excelência, recapeando em CBUQ (Concreto Betuminoso Usinado a Quente). Um responsável da empresa que estava no local me explicou que neste tipo de produto e técnica utilizada: “os pavimentos são estruturas compostas por múltiplas camadas, o revestimento é a camada responsável por receber e transmitir a carga dos veículos, além de servir de proteção contra o intemperismo (alteração na temperatura)”, frisou. Várias equipes estão no local, cada qual responsável por uma parte do serviço.
 Enquanto alguns fazem a limpeza do matagal às margens da estrada, outros adequam o solo além daqueles que preparam o “piche”. Logo que a pista fica pronta e devidamente seca, o pessoal da pintura já faz as faixas centrais e laterais, sinalizando devidamente o trecho.
A PR 555 em toda sua extensão de 26 km vai ganhando nova forma. Quantas pessoas já  se envolveram em acidentes nos últimos tempos por conta da buraqueira e precariedade na sinalização? As esporádicas operações tapa-buracos em nada resolvia, pois a lama asfáltica  colocada não era suficientemente capaz de se amalgamar  ao asfalto antigo, gerando assim, em pouco tempo, o esfarelamento, trazendo novamente à tona os tão temidos buracos.
Com uma camada uniforme, devidamente compactada , a deterioração deve levar mais tempo, ressaltando que as manutenções precisam ser mais constantes por parte do DER, com vistas a evitar um novo estado de sucateamento.
O contribuinte, além de pagar o pedágio e IPVA, ainda tem outras taxas e multas que uma vez recolhidas, teriam que servir para financiar as obras, garantindo trafegabilidade, preservando assim,vidas.Pergunto:  Quanto vale uma vida? Não tem preço. Ao se furtar de dar a devida manutenção de rotina, os responsáveis pela preservação da pista contribuem para engrossar as estatísticas alarmantes dos casos de acidentes.
Outro tão sonhado anseio da população é o asfaltamento do trecho entre a Placa Zacharias e o distrito de Ivaitinga, prometido pelo Governador Beto Richa (PSDB) quando da sua campanha à reeleição. Segundo o prefeito Gerson, com quem estive esta semana para uma entrevista, o apoio para o projeto, por parte da Deputada maringaense Maria Victoria Borghetti Barros (PP) deve viabilizar o asfaltamento. O trecho é pequeno, cerca de 04 quilômetros, mas que  se for  asfaltado, vai facilitar e muito o acesso dos produtores rurais  e moradores daquele distrito. Não podemos deixar de cobrar. Todos, inclusive. Comunidade, imprensa Prefeito, vereadores e demais autoridades. Se hoje chegamos a esta conquista, outras com certeza chegarão.Basta nos posicionarmos, exercendo a verdadeira cidadania, para o bem de todos!
 
“Não existe sucesso ou felicidade sem o exercício pleno da cidadania e da ética global” - Carlos Roberto Sabbi

Fonte: Alex Fernandes França

 
Veja Mais:

  • 03/08/2018 - O homem cordial, a política e a Lei de Gérson!
  • 04/06/2018 - Mundo em colapso
  • 12/01/2018 - O ano que queremos...
  • 24/11/2017 - Marcas no corpo e na alma
  • 25/08/2017 - "Nem com uma flor..."
  • 28/07/2017 - Ódio ideológico
  • 22/06/2017 - Investir em Esportes faz bem
  • 09/06/2017 - Escolas do Crime
  • 02/06/2017 - Há esperança para o Antonio Esperança?
  • 26/05/2017 - Reciclando ações
  • 19/05/2017 - A amplitude da informação aliada à Educação
  • 15/05/2017 - Até onde vai a credibilidade das redes sociais?
  • 02/05/2017 - Viagens extraordinárias
  • 17/04/2017 - Cidadania e justiça
  • 31/03/2017 - O progresso pede passagem
  • 27/03/2017 - A carne é fraca?
  • 17/03/2017 - Respeito é bom...
  • 03/03/2017 - O menor de idade e a falência do sistema carcerário
  • 24/02/2017 - Refis: justo ou injusto?
  • 17/02/2017 - Chega de violência
  • 10/02/2017 - Que comecem os trabalhos...
  • 27/01/2017 - Fato ou boato: até onde vai a credibilidade das redes sociais?
  • 20/01/2017 - Vilas Rurais: desvio de finalidade?
  • 06/01/2017 - Gestão Pública eficiente: anseio coletivo
  • 23/12/2016 - Real motivo de celebração
  • 17/12/2016 - Responsabilidade Humana
  • 25/11/2016 - Patrimônio inestimável
  • 11/11/2016 - Ultranacionalista no poder
  • 28/10/2016 - Finados: dia de celebrar a vida
  • 21/10/2016 - Bye bye clientes
  •  
    © Jornal Noroeste - Escrevendo a história de Nova Esperança e região desde 1985
    Rua Governador Bento Munhoz da Rocha Neto, 354 - Sala 101 - Nova Esperança, PR - CEP 87600-000 - Fone 044 3252 3908
    Desenvolvido por Hnet Websites