Segunda Feira, 24 de Setembro de 2018
A carne é fraca?


27/03/2017

O Brasil está em polvorosa por conta dos últimos acontecimentos envolvendo a situação dos 21 frigoríficos denunciados por meio da Operação Carne fraca da Polícia Federal. Eles são acusados de cometerem irregularidades. O fato está gerando negativa repercussão internacional e deve afetar diretamente a balança comercial brasileira. Dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) apontam para acentuada queda nas exportações brasileiras.

O Ministério divulgou que, o Brasil exportou US$ 74 mil do produto na terça-feira (21). Antes da operação da Polícia Federal, o montante médio das exportações em março, por dia útil, foi bem maior: US$ 60 milhões.
A operação gerou a desconfiança dos mercados internacionais. Não obstante, no Brasil, os consumidores, talvez não a totalidade, estão desconfiados sobre a qualidade do produto consumido e a eficiência dos  mecanismos de controle adotados no sentido de assegurar a qualidade do produto. Os órgãos de comunicação do governo destacam que o Sistema de Fiscalização dos produtos brasileiros é reconhecido internacionalmente, graças à sua “eficácia e rigor”.
Em Nota o governo destacou: “Organizado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), esse sistema fornece uma série de mecanismos e programas que buscam avaliar a qualidade do produto que chega à mesa do consumidor ou é vendido para outros países. Conheça abaixo as principais ferramentas utilizadas pelo governo para garantir o controle de qualidade da carne produzida no Brasil”.
Os consumidores locais, entrevistados pela reportagem do JN foram enfáticos em afirmar que o consumo em suas residências continua normal, haja vista comprarem em açougues locais cuja procedência dos animais abatidos teoricamente assegura sua qualidade de origem.
Com efeito, a Operação da Polícia Federal e as revelações que vieram à tona via imprensa, prejudicou a imagem da carne brasileira no exterior e isto, evidentemente deixa um rastro de desconfiança que levará algum tempo para se recuperar.  
Cabe ao Serviço de Inspeção Federal (SIF) atestar via fiscalização a qualidade dos produtos de origem animal (comestíveis ou não) que vão abastecer o mercado interno ou externo. Um ingrediente maléfico que nos macula negativamente é a corrupção e esta, infelizmente, está enraizada em todas as esferas da nossa sociedade. Aprovação de produtos que deveriam ir para o descarte e acabam na mesa do consumidor chegam até lá via esteira da corrupção. Muita coisa ainda poderá surgir. Em reportagem publicada pela Agência Brasil, o fiscal Daniel Gouveia Teixeira, responsável por efetuar a primeira denúncia que culminou com a deflagração da Operação Carne Fraca da Polícia Federal, disse acreditar que as investigações estão apenas no começo e que muita coisa ainda estaria por vir. Paralelamente a isto, o governo busca atenuar o impacto internacional e enxugar gelo com os panos do diálogo.
O fiscal revelou que os investigados e presos ainda tem muito a falar. Para ele, servidor do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento as fraudes sanitárias detectadas até o momento não representam riscos à saúde imediata dos consumidores. Menos mal.
Sentimentos carnais como ganância e corrupção juntas,  novamente fazendo estragos na nossa já tão castigada economia. Urge uma mudança de mentalidade em nosso país. Afinal de contas, a carne é fraca?
 

“A corrupção deforma o sentido republicano da prática política”.
Celso de Mello - STF

Fonte: Alex Fernandes França


 
Veja Mais:

  • 03/08/2018 - O homem cordial, a política e a Lei de Gérson!
  • 04/06/2018 - Mundo em colapso
  • 12/01/2018 - O ano que queremos...
  • 24/11/2017 - Marcas no corpo e na alma
  • 25/08/2017 - "Nem com uma flor..."
  • 28/07/2017 - Ódio ideológico
  • 22/06/2017 - Investir em Esportes faz bem
  • 09/06/2017 - Escolas do Crime
  • 02/06/2017 - Há esperança para o Antonio Esperança?
  • 26/05/2017 - Reciclando ações
  • 19/05/2017 - A amplitude da informação aliada à Educação
  • 15/05/2017 - Até onde vai a credibilidade das redes sociais?
  • 02/05/2017 - Viagens extraordinárias
  • 17/04/2017 - Cidadania e justiça
  • 31/03/2017 - O progresso pede passagem
  • 27/03/2017 - A carne é fraca?
  • 17/03/2017 - Respeito é bom...
  • 03/03/2017 - O menor de idade e a falência do sistema carcerário
  • 24/02/2017 - Refis: justo ou injusto?
  • 17/02/2017 - Chega de violência
  • 10/02/2017 - Que comecem os trabalhos...
  • 27/01/2017 - Fato ou boato: até onde vai a credibilidade das redes sociais?
  • 20/01/2017 - Vilas Rurais: desvio de finalidade?
  • 06/01/2017 - Gestão Pública eficiente: anseio coletivo
  • 23/12/2016 - Real motivo de celebração
  • 17/12/2016 - Responsabilidade Humana
  • 25/11/2016 - Patrimônio inestimável
  • 11/11/2016 - Ultranacionalista no poder
  • 28/10/2016 - Finados: dia de celebrar a vida
  • 21/10/2016 - Bye bye clientes
  •  
    © Jornal Noroeste - Escrevendo a história de Nova Esperança e região desde 1985
    Rua Governador Bento Munhoz da Rocha Neto, 354 - Sala 101 - Nova Esperança, PR - CEP 87600-000 - Fone 044 3252 3908
    Desenvolvido por Hnet Websites