Segunda Feira, 12 de Novembro de 2018
A amplitude da informação aliada à Educação


19/05/2017
Foi retomado, pelo terceiro ano consecutivo em Nova Esperança, o Projeto Noroeste na Educação.  A iniciativa tem gerado bons frutos, estimulando os alunos em sala de aula na busca por conhecimentos, sobretudo das coisas cotidianas que permeiam o cenário local. No momento do lançamento, ocorrido esta semana na sede da Secretaria da Educação, foi emocionante ouvir os relatos dos educadores, colhidos in loco no ambiente escolar. As experiências transcritas no Jornal e as colunas de opinião tem se revelado eficazes na formação de novos leitores, cujos positivos desdobramentos futuros se tornam incomensuráveis.
Urge formar uma geração diferente desta que estamos vivenciando.  Enquanto nós brasileiros nos digladiamos, defendendo uma bandeira utopicamente ideológica entre esquerda ou direita, estas alas tem se mostrado insensíveis ao povo, niveladas por baixo sendo corrupção e conchavos, características peculiares a ambas.
Denúncias bombásticas surgiram por um tradicional e renomado Jornal impresso: O Globo, que foi a fundo e trouxe ao conhecimento do Brasil inteiro a podridão envolvendo os citados Aécio Neves (PSDB), Michel Temer (PMDB), deputado Rocha Loures (PMDB do Paraná).
É justamente os jovens leitores que já começam a adentrar em um universo de conhecimento e informação que, igualmente o que ocorre com grande parte da sociedade, precisam se indignar com os fatos e projetar pra si um futuro diferente do que estamos vivenciando.
Tem se a impressão de que o Brasil é um grande navio que está à deriva, solto no mar da corrupção, mal este que nos assola desde os tempos do período colonial. Com efeito, a presidência nacional de Temer e aliados, ante os fatos expostos, perdeu totalmente a governabilidade.
Antes de se pensar em mudar o país é necessário ocorrer a transformação dos valores e isto acontece  dentro de casa. Cabe à escola aplicar a sistematização do ensino, transmitindo conhecimentos das disciplinas propostas. O papel de educar, agregando princípios como ética e moralidade é atribuição a ser desempenhada pelos pais ou tutores.
E o Jornal na escola como recurso didático tem se demonstrado uma importante ferramenta. A indignação ante os fatos expostos já começa a aflorar nos nossos alunos, gerando neles o senso crítico e ampliando o poder de argumentação que é um instrumento valioso.  Penso que a classe política terá que se reinventar. Se não por ética, pelo menos por medo. O pragmático escritor renascentista Nicolau Maquiavel (1469 – 1527) disse: “é preferível ser temido do que amado”. Maquiavelismo e exegese de tal frase à parte, é inegável que no meio político brasileiro ela tem uma aplicação interessante. Amor e respeito ao povo no tocante ao erário é algo que, via de regra, na prática inexiste. Quem sabe, por medo de serem descobertos e punidos, os políticos corruptos, que tem se utilizado da máquina pública para enriquecimento ilícito, repensem a forma de “fazer política”? Finalizo com uma frase que li, colocado no vidro de um carro: “A criança que você era, teria orgulho da pessoa que você é hoje?”. Pensemos nisso!


“Tolerar a desordem é consequência de uma educação falha” – frase judaica.

Fonte: Alex Fernandes França

 
Veja Mais:

  • 03/08/2018 - O homem cordial, a política e a Lei de Gérson!
  • 04/06/2018 - Mundo em colapso
  • 12/01/2018 - O ano que queremos...
  • 24/11/2017 - Marcas no corpo e na alma
  • 25/08/2017 - "Nem com uma flor..."
  • 28/07/2017 - Ódio ideológico
  • 22/06/2017 - Investir em Esportes faz bem
  • 09/06/2017 - Escolas do Crime
  • 02/06/2017 - Há esperança para o Antonio Esperança?
  • 26/05/2017 - Reciclando ações
  • 19/05/2017 - A amplitude da informação aliada à Educação
  • 15/05/2017 - Até onde vai a credibilidade das redes sociais?
  • 02/05/2017 - Viagens extraordinárias
  • 17/04/2017 - Cidadania e justiça
  • 31/03/2017 - O progresso pede passagem
  • 27/03/2017 - A carne é fraca?
  • 17/03/2017 - Respeito é bom...
  • 03/03/2017 - O menor de idade e a falência do sistema carcerário
  • 24/02/2017 - Refis: justo ou injusto?
  • 17/02/2017 - Chega de violência
  • 10/02/2017 - Que comecem os trabalhos...
  • 27/01/2017 - Fato ou boato: até onde vai a credibilidade das redes sociais?
  • 20/01/2017 - Vilas Rurais: desvio de finalidade?
  • 06/01/2017 - Gestão Pública eficiente: anseio coletivo
  • 23/12/2016 - Real motivo de celebração
  • 17/12/2016 - Responsabilidade Humana
  • 25/11/2016 - Patrimônio inestimável
  • 11/11/2016 - Ultranacionalista no poder
  • 28/10/2016 - Finados: dia de celebrar a vida
  • 21/10/2016 - Bye bye clientes
  •  
    © Jornal Noroeste - Escrevendo a história de Nova Esperança e região desde 1985
    Rua Governador Bento Munhoz da Rocha Neto, 354 - Sala 101 - Nova Esperança, PR - CEP 87600-000 - Fone 044 3252 3908
    Desenvolvido por Hnet Websites