Segunda Feira, 12 de Novembro de 2018
::: Que o número 7 nos inspire e transforme...


11/07/2014
A Bíblia Sagrada apresenta o SETE como sendo um número perfeito. SETE é o número de Deus. Aquilo que Deus faz, a favor do homem, traduz-se, inúmeras vezes, na Bíblia pelo número SETE.
O SETE representa aquilo que está completo, a plenitude, o que é perfeito, aquilo que Deus faz a que nada falta e nada se lhe pode acrescentar.
Contextualizando, na última terça-feira, dia 08 de julho, o Brasil levou uma sonora goleada para a Alemanha pelo placar de 7x1. Foi a vitória da organização e competência contra a malandragem. Serve de exemplo e coroa a vitória de um time frio e organizado contra a falta de planejamento, que ficou nítida com a ausência dos principais jogadores do Brasil: Neymar e Tiago Silva. O brasileiro dificilmente trabalha com um plano “b”. Não só no futebol, como na sua vida. No caso do nosso futebol, não existia uma segunda maneira de jogar que não fosse a dependência pura e exclusiva do nosso craque e camisa 10. Sem ele, ficou um time comum, muito abaixo da média, parecendo um bando de time de garotos batendo uma pelada no intervalo para recreio na escola. Se esse time jogou assim pelo Neymar imagine o que jogaria então pelo Fred, que devido sua ineficácia nos jogos, tornou-se um dos que mais personificam o fracasso do time canarinho.
Que o número SETE nos inspire a transformar e almejar a perfeição. Se assim não conquistarmos, pelo menos mais perto chegaremos. Já ouvi alguém dizer: “Sonhe com o infinito do céu, pois se um dia caíres, estarás pelo menos entre as estrelas”. Como pode um país com tantas desigualdades sociais bancar estádios bilionários, com gastos infinitamente superiores aos inicialmente orçados, não investir esse mesmo montante de recursos em saúde, educação e segurança pública? Qual o legado que esta copa realmente deixará? Ainda temos que ouvir asneiras do “fenômeno” Ronaldo dizendo que uma copa não se faz com Hospitais. Para onde é que ele foi quando por inúmeras vezes sofrera lesões no joelho que quase comprometeram sua brilhante carreira (dentro dos gramados) como atleta de futebol? Dá pra dizer que somos um país sério onde time grande quando é rebaixado para a série B consegue voltar para a primeira divisão por meio do tapetão do Supremo Tribunal da Justiça desportiva (STJD)? Que o diga o Fluminense do Rio de Janeiro que assim o fez por duas situações, sendo uma inclusive que voltara direto da Série C para a Série A, sem qualquer mérito futebolístico.
A Alemanha nos vence com maestria e total merecimento. Povo de brio e luta. Que foca combate a corrupção, que dá exemplos nas leis e exerce sua cidadania plenamente. Que o SETE nos inspire a lutar e vencer. A protestar e participar das mudanças sociais. A nossa Pátria amada Brasil, cujo hino é cantado infinitamente mais vezes em época de copa do que em qualquer outro período, tem que ser amada sim, no nosso trabalho, em nossos estudos, na nossa honestidade. Que discrepância amar a pátria num jogo de futebol e no outro dia roubar, sonegando impostos, burlando leis, furando sinal no trânsito, cortando a fila no banco, não devolvendo o troco que é dado a mais,ganhando um dinheirinho “por fora” sem mérito, matando, roubando, Fomos vencidos não só pela a Alemanha. Somos vencidos diariamente pelo nosso próprio povo. Num país onde o jeitinho brasileiro fala mais alto, precisamos vencer nossos desafios internos, a começar por cada um de nós. Temos que nos agigantar para construir um País melhor. Quanto à derrota para a Alemanha? – Foi apenas um jogo de futebol. Que o SETE nos inspire a ser um país como o Japão, cujos cidadãos exercem seu patriotismo quando ao sujar os estádios, recolhem seus detritos um a um com sacolinhas plásticas e depositam no lugar correto. Um povo que rechaça a corrupção e investe em estudos e tecnologia de ponta. De que adianta sermos o País do futebol se paralelamente a isto somos o País da corrupção e da impunidade? Deus colocou número SETE como base precisamente para mostrar a Sua Plenitude, a Sua Graça, o Seu Amor pela Humanidade, e como quer resgatá-la. A mesma apresentação é o selo de Deus como prova da infalibilidade da Bíblia e simultaneamente prova da Sua Divina Inspiração. Que aprendamos com a lição imposta dentro de campo pela Alemanha, aplicando-nos dentro e fora do campo o número SETE. Que os 90 minutos em que o SETE fora composto nos sirva de reflexão sobre quais áreas da nossa vida e caráter mereçam ser transformados. Podemos almejar a perfeição, mas com certeza não a conquistaremos pois este é um dos atributos apenas de Deus. Mas que desejemos mudar, protestar, contribuir e somar, para a formação de uma geração íntegra e que não se deixe corromper. Que a goleada de SETE, no momento revés, aplique-nos a lição de que um povo para crescer e se desenvolver precisa aprender com as adversidades e desejar mudar e amadurecer! Que esse patriotismo se estenda até 5 de outubro. Nesta data escolheremos um time que, mais do que levantar uma taça, poderá erguer um País.

Fonte: Alex Fernandes França

 
Veja Mais:

  • 03/08/2018 - O homem cordial, a política e a Lei de Gérson!
  • 04/06/2018 - Mundo em colapso
  • 12/01/2018 - O ano que queremos...
  • 24/11/2017 - Marcas no corpo e na alma
  • 25/08/2017 - "Nem com uma flor..."
  • 28/07/2017 - Ódio ideológico
  • 22/06/2017 - Investir em Esportes faz bem
  • 09/06/2017 - Escolas do Crime
  • 02/06/2017 - Há esperança para o Antonio Esperança?
  • 26/05/2017 - Reciclando ações
  • 19/05/2017 - A amplitude da informação aliada à Educação
  • 15/05/2017 - Até onde vai a credibilidade das redes sociais?
  • 02/05/2017 - Viagens extraordinárias
  • 17/04/2017 - Cidadania e justiça
  • 31/03/2017 - O progresso pede passagem
  • 27/03/2017 - A carne é fraca?
  • 17/03/2017 - Respeito é bom...
  • 03/03/2017 - O menor de idade e a falência do sistema carcerário
  • 24/02/2017 - Refis: justo ou injusto?
  • 17/02/2017 - Chega de violência
  • 10/02/2017 - Que comecem os trabalhos...
  • 27/01/2017 - Fato ou boato: até onde vai a credibilidade das redes sociais?
  • 20/01/2017 - Vilas Rurais: desvio de finalidade?
  • 06/01/2017 - Gestão Pública eficiente: anseio coletivo
  • 23/12/2016 - Real motivo de celebração
  • 17/12/2016 - Responsabilidade Humana
  • 25/11/2016 - Patrimônio inestimável
  • 11/11/2016 - Ultranacionalista no poder
  • 28/10/2016 - Finados: dia de celebrar a vida
  • 21/10/2016 - Bye bye clientes
  •  
    © Jornal Noroeste - Escrevendo a história de Nova Esperança e região desde 1985
    Rua Governador Bento Munhoz da Rocha Neto, 354 - Sala 101 - Nova Esperança, PR - CEP 87600-000 - Fone 044 3252 3908
    Desenvolvido por Hnet Websites